Terapia

2 Comentários

Bem, como eu disse anteriormente, terapia seria  um outro tema que daria um bom post.

Eu sempre achei que precisava fazer terapia para poder falar sobre minha sexualidade com alguém. Via programas sobre homossexualismo e ficava cheio de dúvidas. Me achava parecido com o que falavam, mas negava que fosse passar por todas aquelas experiências.

Lá pelos 10 ou 12 anos, minha mãe foi quem me procurou para conversar sobre uma coisa que iria acontecer comigo logo logo. E, usando um livro, falou sobre o ser menino e o ser menina, as transformações advindas da puberdade e sobre o interesse sexual e o ato em si. Fatalmente surgiu a pergunta: E os gays? E ela respondeu que os gays agiam diferente, penetrando o ânus, ao invés da vagina, mas que isso não era uma coisa normal e que ela não entendia como acontecia.

Resolvi me calar e seguir o assunto, pois fiquei com medo daquilo. Não sabia como era esse tipo de prazer. Eu ainda não me masturbava e não via revistas pornô. Não sabia ainda como eram essas coisas.

Enfim, com o tempo, descobri as revistas pornô, e me sentia atraído pelos homens e não pelas mulheres. Aprendi a me masturbar e só sentia prazer, quando pensava no pênis imaginário de alguém que eu achava bonito. E cada vez me sentia mais preso dentro de mim mesmo, sem entender o que sentia.

Achava estranho gostar dos garotos, e tentava ficar com as meninas, mas elas não me satisfaziam, e eram tão dependentes emocionalmente, que me irritava a maneira como se apaixonavam por mim.

Somente aos 25, quando já trabalhava e tinha meu próprio dinheiro, resolvi fazer terapia. Achava que iria me acabar de chorar ao primeiro contato. Tremia só de pensar e falar do assunto ser gay e tudo o que viria por trás disso.

Mas, foi um processo muito interessante e importante para eu crescer como ser humano e aprender sobre a minha sexualidade. Hoje, eu penso que toda pessoa, independente de sexualidade, deveria passar por sessões de terapia para aprender a lidar com suas emoções e a compreender melhor o seu eu interior.

Não digo ficar dependente da terapia. Hoje, eu já não faço mais. Aprendi a lidar com meus processos. As vezes penso em voltar, mas desanimo ao pensar em falar das minhas angústias. Prefiro usar outros métodos, que até o momento tem dado certo: exercícios físicos, conversa com amigos íntimos, leitura, oração, enfim… Acho que cada um deve encontrar sua maneira de lidar com o assunto.

 

Anúncios

O blog como ferramenta de desabafo!

51 Comentários

Olá,

Sempre quis escrever sobre minha experiência ao vivenciar minha sexualidade controversa ao socialmente compreendido como natural,  ou seja, sou gay, num mundo hétero!

Ainda pior, sou gay, num mundo hétero, e de base evangélica tradicional.

Por viver silenciosamente essa sexualidade controversa e sem ter com quem falar sobre o assunto sem me sentir discriminado, julgado, culpado, sempre pensei numa maneira de externar isso ao público para que todos pudessem compreender como se dá esse processo do ser gay. Lutar contra todos, contra a maioria, contra a sociedade e a igreja, apenas para poder viver o que de mais natural acontece a todo ser humano: amar.

Pensei em escrever um livro, mas teria que assumir publicamente tudo que escrevi. Pensei em usar um pseudônimo, mas para publicar, teria que aparecer, pedir que lessem o material, sair do armário para um editor, revisor de texto, produtor, comunicador, e todos que fizessem parte da cadeia de produção de um livro.

Com o advento da internet, os blogs facilitaram muito a publicação de qualquer coisa. Hoje, vídeos, músicas, powerpoints, textos, e qualquer outra coisa pode ser pubicada na rede, de uma maneira democrática, aberta a qualquer público.

Minha intenção aqui, é simplesmente usar esse espaço como local de desabafo. Espero estar contribuindo para que outras pessoas que vivem o mesmo que eu possam encontrar aqui nesse blog, também seu espaço de desabafo.

Ficarei muito feliz em ouvir a sua história aqui também.

Obviamente, Júnior não é o meu nome, e o email publicado aqui (se é que está publicado) são fake. Como sou novato nessa história de blog, não pretendo fazer um blog interativo com fotos, vídeos, imagens, etc. Até porque não tenho a menor paciência com essas interativiades.

Sejam bem vindos!

Entre Nós

Seja bem-vinda(o)! Este é um espaço para debater assuntos relacionados ao universo de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais. Heterossexuais bem resolvidos são muito bem-vindos! Participe e vamos construir um mundo com mais amor e respeito a todos!

Minha Vida Gay

Um blog para o gay que é além de gay

Dentro do Armário

o diário de um gay não gay