Segue a parte 4. Queria deixar claro que tenho minhas próprias opiniões sobre religião, religiosidade e a influência delas no ser gay. Algumas são discordantes do que mvg escreve, mas, aqui, está publicada a opinião dele.

Minha Vida Gay

Entrevista realizada pelo leitor Caio

Caio: Você cresceu numa família mais tradicional e religiosa (conservadora) ou mais liberal e não praticante de nenhuma doutrina? Se sim para a primeira opção, você se considerou religioso por causa da influência dos seus pais ou também por uma convicção própria?

MVG: Sinto que nasci numa família moderada quanto as religiosidades. Meu pai raríssimas vezes (se é que recordo de alguma) trouxe ideias voltadas a dogmas religiosos. Minha mãe teve formação católica mas não praticante, no mais puro sentido de não trazer valores restritamente religiosos (se é que dá para fechar religião em um quadrado), mas me educando sobre respeito ao próximo, a olhar para o social que vai além de nosso núcleo familiar, de compreender e perceber as diferenças e aprender a respeitá-las. Existe isso na religião, não é mesmo? Mas não aprendi desses valores sobre as asas do cristianismo.

Do pré até…

Ver o post original 979 mais palavras

Anúncios